Posts

Dia de Prevenção do Suicídio evidencia importância do tema

O dia 10 de setembro foi definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Desde 2014, Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), promove a campanha nacional Setembro Amarelo, que alerta para a prevenção ao suicídio.

Para exemplificar a importância desse tema, a cada 40 segundos, há um suicídio no mundo, e no Brasil ocorre um suicídio a cada 45 minutos. No total, o número chega a 1 milhão de pessoas que tiraram sua própria vida e essa é uma das causas principais das mortes de jovens entre 15 e 29 anos, adolescentes e crianças. Pelos dados da OMS, o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, sendo também a sétima causa de morte de crianças entre 10 e 14 anos de idade.

VISÃO DO ESPECIALISTA EM PREVENÇÃO DE SUICÍDIO

O presidente eleito da Associação Psiquiátrica da América Latina (Apal) e superintendente técnico da ABP, Antônio Geraldo da Silva, destacou a importância da campanha para prevenção e conscientização, afirmando que esses números apresentados acima são altíssimos, mas que não apresentam a totalidade dos suicídios.

Ainda segundo Antônio Geraldo, a campanha Setembro Amarelo e o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio têm o objetivo de salvar vidas, pois 90% dos casos poderiam ser evitados, se as pessoas tivessem acesso à algum tipo de tratamento da doença que levou ao suicídio. Ele afirma que todos os casos de suicídio há algum tipo de transtorno mental.

CAMPANHA PARA AJUDAR

A Associação Psiquiátrica da América Latina (Apal) pretende lançar campanhas nas redes sociais ao longo de setembro para alertar sobre suicídio e oferecer apoio e ajuda.  Antônio Geraldo quer levar esse tema às escolas, empresas e instituições, para popularizar a campanha. Para ele, também é importante as pessoas e seus familiares não negarem que existem transtornos mentais, pois isso dificulta a prevenção.

O USO DE DROGAS

O psiquiatra Jorge Jaber, membro fundador e associado da International Society of Addiction Medicine, especialista no tratamento de dependentes químicos, ressaltou que o uso de álcool e drogas é o segundo fator depois das doenças psiquiátricas, como ansiedade e depressão, que leva ao aumento de suicídios.

Segundo ele, o suicídio é a causa de morte mais facilmente evitável entre todas as doenças, já que outras doenças precisam de alto custo médico para tratamento, e o impedimento médico do suicídio pode ser atingido com remédios bem mais baratos e somente conversando com o paciente. Para Jaber, o fundamental é dar atenção e escutar aquele que pensa em tirar sua própria vida.

COMO PODEMOS TE AJUDAR?

A RHMED é especialista em Saúde Ocupacional e Segurança no Trabalho e atua há mais de 20 anos no mercado. São mais de 500 mil vidas atendidas por profissionais qualificados e dedicados aos clientes. Já publicamos sobre transtornos mentais, clique aqui para ver!

Estudo da RHMED aponta que jovens estão fumando menos

Pesquisa realizada com dados de 92 mil exames ocupacionais de todo o país entre janeiro de 2016 e junho de 2018 pela RHMED – empresa líder no Brasil em inteligência em saúde e em segurança do trabalho – aponta que o índice de fumantes dentre as empresas analisadas caiu 9,4% no período, com uma tendência de queda linear. Dado a ser comemorado no do Dia Nacional de Combate ao Fumo, em 29 de agosto, que tem como objetivo reforçar ações nacionais de sensibilização da população para os danos causados pelo tabaco. O estudo foi lançado pela RHMED durante sua participação no CONARH – Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas – um dos maiores eventos do mundo do setor de RH, que reunirá mais de 2.500 pessoas, de 14 a 16 de agosto, no São Paulo Expo.

Outra boa notícia apontada pela pesquisa: os jovens que estão entrando no mercado de trabalho estão deixando de fumar – a população trabalhadora acima de 25 anos tem proporcionalmente 2,4 vezes mais fumantes que a de 18 a 24 anos. A idade média do grupo de fumantes é quatro anos maior do que a idade de não fumantes.

O Brasil ainda tem cerca de 21 milhões de fumantes, o que representa 12% de toda a população, segundo dados do Ministério da Saúde.  O consumo de cigarros e outros derivados causa um prejuízo de R$ 56,9 bilhões ao país a cada ano. Deste total, R$ 39,4 bilhões são com custos médicos diretos e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos, decorrentes da perda de produtividade, provocadas por morte prematura ou por incapacitação de trabalhadores.

Os prejuízos à saúde são numerosos e incalculáveis, que vão desde a perda de sensibilidade a insuficiência respiratória, infarto a diversos tipos de câncer.  Somente nesta pesquisa com 92 mil exames ocupacionais, foram notadas incidências de piora na condição respiratória, pressão arterial, glicemia e colesterol – a pressão arterial acima de 15 entre os fumantes foi 30% mais presente do que na população não fumante; a glicemia acima de 150 – 63% a mais para os fumantes e o índice de fumantesque acusaram problemas respiratórios foi 25% maior do que os não fumantes.

 “É normal associar o fumo a questões respiratórias. O mais interessante desse estudo foi verificar o impacto do tabagismo no nível de estresse e na qualidade do sono desses profissionais analisados. Os dados chamam a atenção para efeitos colaterais não muito debatidos, que são causados diretamente pelo hábito”, diz Dr. Geraldo Bachega, diretor-médico da RHMED. Ele se refere à relação direta entre estresse e falta de sono ao fumo: o número de fumantes que reportaram estar sob estresse foi 85% maior que o de não fumantes. Fumantes também reportaram 127% mais problemas de sono.

“Fazemos esse tipo de análise sobre a população de cada empresa para sugerir medidas que ela possa adotar para aumentar a qualidade de vida e melhorar a saúde dos seus colaboradores. Agora, estamos começando a fazer essa análise para todo o universo de mais de 550 mil de vidas da RHMED. Esperamos com isso usar a nossa área de inteligência em saúde ocupacional para provocar debates e campanhas que realmente contribuam para a melhora das condições de saúde da população brasileira como um todo.”, completa o especialista.

 Sobre a RHMED

Empresa piorneira na prestação de serviços de saúde e segurança, a RHMED acumula 22 anos de experiência, com sedes no Rio de Janeiro e em São Paulo e atendimento em todos os estados do Brasil. A empresa apresenta ampla rede de prestadores credenciados, distribuídos por todas as regiões do Brasil, sendo referência no suporte a corporações para que reduzam seus custos com saúde ocupacional e assistencial por meio da inteligência na gestão. Anunciou, em maio, acordo de compra da RHVida, já aprovada pelo CADE. Com a aquisição, a RHMED se torna a maior empresa focada em medicina ocupacional do Brasil, com 600 colaboradores e responsáveis pelo atendimento a mais de 2,5 mil empresas em todo o país. Veja matéria completa aqui!

RHMED traz coach português Sérgio Almeida ao Brasil

A RHMED trouxe ao Brasil, pela primeira vez, o coach português Sérgio Almeida, disseminador do conceito “Felicidade nas Organizações” e Diretor da Academia de Neurociências e Educação de Portugal. Almeida fez uma palestra para convidados na última semana, em São Paulo, e falou sobre motivação de equipes na era da indústria 4.0. O evento foi realizado em parceria com a revista Gestão RH.

 Para o palestrante, os novos desafios nos negócios e nas empresas, cada vez mais dependentes da tecnologia, onde conceitos como “internet das coisas” e “big data” transformaram a dinâmica do trabalho, incluem novas habilidades por parte dos líderes e das equipes. As competências exigidas devem equilibrar a experiência (habilidade de saber fazer), o conhecimento (formação e saber), a atitude (o querer fazer) e o comportamento (saber estar, comunicar).

NOVAS COMPETÊNCIAS PARA LÍDERES

Em um estudo apresentado pelo coach, “The future of jobs”, o World Economic Forum define as novas competências para 2020 como uma evolução das soft skills, obrigando os líderes a repensar a forma como fazem a gestão de suas equipes. A criatividade e o pensamento crítico, por exemplo, ganharão relevância maior. Interessante também entender que os millenials, que ocuparão 50% de toda a força laboral no mundo inteiro, procuram, para além do salário e do crescimento na carreira, um “sentido de propósito” em tudo o que fazem e, ainda, o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal.

Com base na Neurociência, Almeida compartilhou com os participantes os princípios da chamada “motivação intrínseca”. “Existe sempre um lado emocional em cada decisão que tomamos nas nossas vidas e, desta forma, se queremos motivar alguém, deveremos comunicar com propósito”, disse.

O coach terminou sua palestra falando sobre a teoria de Simon Sinek “Golden Circle”, onde o propósito (why) é fundamental para que todo o processo de ação aconteça de forma sustentada. Segundo o palestrante, é fundamental que cada um dos indivíduos de uma organização saiba claramente qual a sua missão (o propósito), os seus valores (o que o motiva) e a sua visão (onde quer chegar). “Desta forma poderá motivar-se de forma intrínseca e adaptar-se aos desafios do mundo global na era 4.0”, completa.

A RHMED trabalha para que, na área de saúde ocupacional, as empresas cuidem, de forma integrada, da saúde do trabalhador, com a prevenção de doenças físicas e emocionais.  “Investir no bem-estar do colaborador e de seus familiares é ir muito além dos gastos com plano de saúde. Nós oferecemos soluções que auxiliam as empresas a estabelecerem níveis elevados das suas condições de trabalho. Os impactos promovidos por esse tipo de gestão, não ficam somente no ambiente profissional, já que esses benefícios são levados também para a vida do funcionário fora do emprego. O resultado é não só o aumento da qualidade de vida do trabalhador, pois estimulamos que as pessoas tenham o propósito de efetivamente cuidar da sua vida e dos que estão a sua volta, diz Antonio Martin, CEO da empresa.

 Sérgio Almeida é CEO e fundador da Powercoaching, referência na área do Coaching, e fundou o conceito de “Felicidade nas Organizações”. Co-fundador da International Coaching University, Almeida é Master em Coaching pela ICU, escritor, orador e consultor especialista em liderança, estratégia, negociação e vendas. Desde cedo sentiu que o mundo ultrapassava a visão de “fria e racional” adquirida na sua Licenciatura em Engenharia Mecânica da FEUP. Liderou várias equipes comerciais, tendo ganhado, em 2008, o “Challenge Peugeot – Melhor Diretor de Vendas em Portugal”, quando partiu para a descoberta do fascinante mundo do Coaching, das pessoas e das organizações.

Sobre a RHMED

Empresa pioneira na prestação de serviços de saúde e segurança, a RHMED acumula 22 anos de experiência, com sedes no Rio de Janeiro e em São Paulo e atendimento em todos os estados do Brasil. A empresa apresenta ampla rede de prestadores credenciados, distribuídos por todas as regiões do Brasil, sendo referência no suporte a corporações para que reduzam seus custos com saúde ocupacional e assistencial por meio da inteligência na gestão. Anunciou, em maio, acordo de compra da RHVida, já aprovada pelo CADE. Com a aquisição, a RHMED se torna a maior empresa focada em medicina ocupacional do Brasil, com 600 colaboradores e responsáveis pelo atendimento a mais de 2,5 mil empresas em todo o país. Entenda mais aqui!

Dia Mundial de Controle do Colesterol: RHMED alerta para cuidados

Data instituída pelo governo há 15 anos, o Dia Nacional de Controle do Colesterol tem o objetivo de conscientizar a população sobre as doenças decorrentes da elevada taxa de colesterol sanguíneo e a importância da prevenção e de formas de tratamento.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30% da população brasileira têm colesterol alto, o que corresponde a 77 milhões de pessoas em todo país. Os índices cresceram nos últimos anos por conta de maus hábitos alimentares, especialmente causados por rotinas estressantes de trabalho. Segundo estudos, certas profissões, como a de motorista, oferecem mais riscos de desenvolver o problema do que outras.

O colesterol é uma substância gordurosa encontrada naturalmente em nosso corpo. Ele tem o papel vital de manter cada célula do corpo funcionando adequadamente. Entretanto, o acúmulo de colesterol no sangue pode aumentar o risco de doenças do coração. Há doistipos colesterol: HDL e LDL. O primeiro é bom para nosso coração. Ele carrega colesterol das artérias para o fígado, onde é eliminada. Já o LDL, carrega colesterol do fígado para os tecidos do corpo. O colesterol ”ruim”, em grande quantidade no corpo, pode se acumular nas células e nas artérias, levando a complicações as funções cardiovasculares.

Alguns hábitos podem prevenir o colesterol alto:

  • Exercícios físicos;
  • Alimentação saudável, dando preferência a alimentos como frutas, legumes e verduras;
  • Consumo de duas colheres de azeite de oliva por dia na salada;
  • Um copo de leite ou iogurte (mesmo para adultos);
  • Tomate, suco de uva e aveia ou soja ajudam a reduzir os índices de colesterol e propiciam uma vida mais saudável;
  • O salmão é ótima alternativa para aumentar a ingestão de ômega 3;
  • Castanha-do-pará é rica em nutrientes, como ácidos graxos, vitaminas B e E, proteína, fibras, cálcio e fósforo;
  • Linhaça promove o aumento do colesterol HDL (colesterol “bom”).

É importante visitar regularmente um médico e ficar atento às taxas lipídicas, que sempre nos indicam como está a saúde.

Como podemos te ajudar?

A RHMED é especialista em Saúde Ocupacional e Segurança no Trabalho e atua há mais de 20 anos no mercado. São mais de 500 mil vidas atendidas por profissionais qualificados e dedicados aos clientes. Estamos também está nas redes sociais! Siga aqui nosso perfil no LinkedIn!

Semana de Aleitamento Materno: cuidados na hora de amamentar

Os primeiros dias de agosto são dedicados às atividades da Semana Mundial de Aleitamento Materno. Para colaborar com mães e empresas, a RHMED observa cuidados e orientações a serem observados nessa importante fase da vida das mulheres.

Desde 1991, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que nos seis primeiros meses de vida o bebê se alimente exclusivamente de leite materno. Por conta disso, a legislação trabalhista no Brasil garante uma série de direitos às funcionárias, como a obrigatoriedade de intervalos durante a jornada de trabalho para amamentação. Sabendo da relevância do aleitamento para saúde de mães e filhos, a RHMED orienta criteriosamente seus clientes a assegurar esses direitos e a cuidar da saúde e da segurança de suas colaboradoras.

Para as mulheres que voltam ao trabalho depois da licença maternidade, os especialistas aconselham não interromper abruptamente a amamentação. A indicação é que a mãe converse antes com seu médico a fim de criar a melhor estratégia para seu retorno às atividades, sem prejuízo na qualidade de vida e bem-estar dela e do bebê.

Amamentar envolve certos cuidados. Veja algumas dicas do Ministério da Saúde:

  • Manter a saúde em dia, porque muitas doenças podem ser transmitidas pelo leite materno;
  • Beber bastante líquido (3 a 4 litros por dia);
  • Não usar medicações sem orientação médica, porque algumas delas são eliminadas pelo leite materno e podem prejudicar o bebê;
  • Não fumar, tomar bebida alcoólica ou usar drogas.

Além de ser o alimento mais perfeito para as necessidades nutricionais do bebê, o leite materno contém uma série de anticorpos, que passam a proteger também a criança.

A RHMED

A RHMED é especialista em Saúde Ocupacional e Segurança no Trabalho e atua há mais de 20 anos no mercado. São mais de 500 mil vidas atendidas por profissionais qualificados e dedicados aos clientes.

Estamos preparados para atender às determinações legais, por meio de sistemas operacionais e capacitação de profissionais, viabilizando a disponibilização das informações, atendendo as demandas dentro dos prazos estabelecidos pelo governo. Clicando AQUI você tem acesso aos nossos outros artigos! Qualquer dúvida relacionada aos nossos serviços, entre em contato com a gente!

eSocial ganha funcionalidade para habilitar envio de eventos

Uma nova funcionalidade foi implementada pelo eSocial e está disponível desde a semana passada: o Web Geral. Pela ferramenta, as empresas têm a possibilidade de bloquear o ambiente web para edição de informações. Assim, é possível deixar habilitada apenas a consulta de eventos enviados por web service, sem permitir as funções de incluir, alterar, retificar e excluir eventos.

Na prática, a funcionalidade atende às empresas que preferem que a única via de envio de eventos seja por meio do seu software. É prático e útil para evitar a prestação de informação fora dos seus sistemas de gestão de folhas de pagamento, permitindo um controle interno ainda maior.

Para acessar o Web Geral, basta selecionar o menu “Empregador” e clicar na aba “Manutenção”. Se desejar, o empregador poderá também alterar a escolha feita. Há mais informações no manual do Web Geral no site do eSocial.

É importante lembrar que todas as empresas privadas do país tem até o final deste mês de julho para aderir ao eSocial – sistema de registro criado pelo Governo Federal com o intuito de facilitar a administração de informações relativas aos trabalhadores.

A RHMED

A RHMED oferece soluções que auxiliam as empresas a estabelecerem níveis elevados das suas condições de trabalho. Tendo como resultado o aumento da qualidade de vida do trabalhador, a RHMED desenvolve e implanta diversos programas, baseados em estudos da população e tecnicamente focados na melhoria da relação entre funcionários, empresa e sociedade. Entenda o nosso trabalho aqui!

Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho é lembrado em 27 de julho

Acidente de trabalho, doença profissional e enfermidade de trabalho são os três pilares que compõem os acidentes ocupacionais, de acordo a Lei 8.213/91. Números da Organização Internacional do Trabalho (OIT) apontam que dos cerca de 2,34 milhões de acidentes fatais de trabalho que ocorrem globalmente a cada ano, mais de 2,02 milhões são causados diretamente pelas atividades realizadas sem proteção adequada ou de forma indevida, além de doenças relacionadas às funções dos trabalhadores. Ainda segundo dados da organização, o Brasil ocupa a quarta posição no ranking mundial de acidentes e doenças do trabalho, com média anual de 2.503 óbitos.

ESPECIALISTA EM ACIDENTE DE TRABALHO

“Acidente de trabalho – de acordo com a Lei 8.213/91, art. 19 – é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do artigo 11 desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho”, explica Geraldo Bachega, diretor-médico da RHMED – empresa especializada em inteligência em saúde e em segurança do trabalho. “A classificação é feita em três modalidades distintas: acidente típico, doenças ocupacionais e acidentes por equiparação – compreendendo os acidentes ocorridos no ambiente e no horário de trabalho, bem como os acidentes ocorridos fora do ambiente e do horário de trabalho”, complementa.

Dados do Ministério Público do Trabalho (MPT) apontam que, somente no primeiro semestre deste ano, mais de R$ 1 bilhão já foram pagos em benefícios acidentários pela previdência brasileira. Para o especialista em medicina do trabalho, a redução do número acidentes de trabalho está estritamente ligada a políticas de prevenção implementadas pelas empresas e que abrangem também as condições de trabalho além do ambiente corporativo.

“É notória a confluência entre condições de saúde de forma geral, exposição ao risco e condições de trabalho, em que situações de saúde não relacionadas à função, como o surgimento de doenças crônicas como o diabetes, acabam sendo limitadores ou mesmo colaborando como concausa do acidente. Outro ponto importante que deve ser destacado é que é mito falar que Segurança e Saúde do Trabalho (SST) é custo e não investimento. Aplicar capital na SST é fundamental para prevenir acidentes de trabalho, adoecimentos, ausências e presenças no ambiente de trabalho”, diz.

Os cálculos feitos pelos especialistas apontam que, em média, para cada real investido em prevenção de acidentes e promoção da saúde do trabalhador, há um retorno de aproximadamente três reais, demonstrando, assim, que a ações de prevenção agregam ao negócio. “Também é importante lembrar que, além dos impactos sobre a saúde e segurança do trabalhador, as Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho estabelecem regras que, caso não sejam cumpridas, podem gerar pesadas multas ao empregador além de interdições parciais ou totais da empresa”, pondera Bachega.

 eSOCIAL É A FERRAMENTA ALIADA DA SAÚDE OCUPACIONAL

Tão importante quanto a implementação de ações de prevenção dentro das organizações é o advento do eSocial nesse processo. Para o médico, o sistema será também um aliado tanto para empresas quanto para trabalhadores. “O eSocial unificará em um único ambiente nacional as informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas dos empregadores, contribuintes e órgãos públicos. Outro ponto relevante é que as ações de saúde e segurança exigidas pelo eSocial já eram regras estabelecidas na legislação, mas de difícil fiscalização. O eSocial trará mais transparência, o que tornará fundamental ter disciplina e operar de forma correta”, esclarece o médico.

Nesse contexto, a Saúde Ocupacional tem papel crucial. Dr. Geraldo Bachega ressalta que o cuidado com a saúde do colaborador divide o protagonismo com as ações de prevenção de acidentes de trabalho promovidas pelas corporações.  “O gerenciamento das informações colhidas na anamnese do exame físico e ocupacionais são ferramentas efetivas na prevenção e não somente análise do acidente que já ocorreu” observa o médico.

“Doenças não relacionadas ao trabalho não são bem avaliadas pelas empresas, por julgarem um recurso assistencial. No entanto, as patologias não tratadas, além de gerar uma sinistralidade para o plano de saúde, hoje o segundo maior gasto das empresas, podem ser diretamente relacionadas à causa do acidente, como um diabético tipo II, não insulino dependente que, às vezes, não tem conhecimento da doença ou não trata de maneira adequada e, na hora de uma atividade crítica, ocorre o mal-estar ou síncope, levando ao acidente. Por isso, políticas de prevenção têm papel fundamental. Caso esse trabalhador estivesse em acompanhamento, aliado a uma boa instrução, o desfecho poderia ser positivo. Também por isso, o debate é mais amplo e prático do que o estrito cumprimento da legislação”, avalia o diretor técnico da RHMED.

A RHMED tem uma sessão totalmente dedicada ao eSocial. Clique aqui para ver!

Descumprir o eSocial gera penalidades às empresas

Todas as empresas privadas do país tem até o final deste mês de julho para aderirem ao eSocial– novo sistema de registro, criado pelo Governo Federal, com o intuito de facilitar a administração de informações relativas aos trabalhadores. O programa foi divido em cinco fases, com o início em janeiro para empresas de grande porte; em um segundo estágio foram englobadas as micro e pequenas empresas e MEIs que possuam empregado.

Como se trata de um programa novo, o eSocial teve dificuldades para ser implementado, por isso os especialistas pedem atenção para as multas previstas em lei casa haja o descumprimento.

PALAVRAS DO ESPECIALISTA

Segundo Taylan Alves, consultor e especialista em implantação do eSocial, os prazos do novo sistema de registro são conforme as fases que cada empresa precisou aderir. As empresas grandes, com faturamento maior de R$ 78 milhões em 2016, tiveram sua data de entrega de dados do empregador e os eventos da tabela em janeiro a fevereiro e março e abril.

Por exemplo, para as empresas do primeiro grupo que faturaram em 2016 mais de R$ 78 milhões, a data de entrega de dados do empregador e os eventos da tabela foram de janeiro a fevereiro e março e abril os dados dos empregados. Alves reitera que de maio em diante a folha de pagamento e janeiro de 2019 aspectos de saúde e segurança do trabalho.

Taylan garante que não há previsão legal de multa para a perda desses prazos, cabendo aos órgãos responsáveis notificar as empresas para que os cumpra. Já em relação aos prazos previstos na legislação trabalhista todos permanecem inalterados e os valores conforme suas respectivas disposições legais, a citar, não realizar a admissão do empregado no prazo, não comunicar um acidente de trabalho no prazo, não realizar os exames médicos, não recolher FGTS no prazo e por aí vai.

É PRECISO CONHECER O PROGRAMA

O consultor afirma que os empresários precisam conhecer as regras e datas do eSocial, como, por exemplo, já ter se informado sobre o status da empresa em relação ao sistema de registro. No entanto, para os mais desavisados, Alves afirma que a melhor forma é consultar os profissionais responsáveis por administrar as informações correlacionadas à área trabalhista (trabalhista, fiscal, contábil, saúde e segurança do trabalho, jurídico, tecnologia da informação), consultar seu contador.  Ele alerta que o empregador e os próprios profissionais precisam estar cientes do tamanho dessa mudança na área trabalhista: “… todos os envolvidos passem por uma revisão avançada de atualização legal, conheça os pormenores e já se adequem ao que prescreve a lei”.

De acordo com o especialista, uma vez que a empresa já estiver prestando as informações ao eSocial, a fiscalização será automática e digital, podendo ocorrer em até cinco anos após o cumprimento, em outras palavras, uma informação prestada errada agora pode sofrer uma autuação em 2023 – período de prescrição legal.

eSocial é um sistema administrado pela Receita Federal, e todos sabemos da eficiência deste órgão na gestão das informações sob sua responsabilidade. Vale destacar que as multas pelo não cumprimento das obrigações previstas em lei, serão aplicadas automaticamente pelo eSocial, e os profissionais responsáveis dependerão totalmente dos atos praticados pelos empresários para atender a legislação”.

A RHMED

A RHMED oferece soluções que auxiliam as empresas a estabelecerem níveis elevados das suas condições de trabalho. Tendo como resultado o aumento da qualidade de vida do trabalhador, a RHMED desenvolve e implanta diversos programas, baseados em estudos da população e tecnicamente focados na melhoria da relação entre funcionários, empresa e sociedade. Entenda o nosso trabalho aqui!

 

eSocial: prévia da nova versão do manual de orientação está disponível

Já está disponível a prévia da nova versão do MOS (Manual de Orientação do eSocial) na área de Documentação Técnica do Portal do eSocial. Essa nova versão vem para abranger todas as alterações promovidas no programa até então, incluindo Notas Técnicas e Nota de Documentação Evolutiva.

O novo manual do eSocial compõe toda a documentação, trazendo as regras de utilização do sistema, prazos de envio dos eventos, além de exemplos e explicações mais detalhadas sobre diversos pontos relatados por usuários.

A versão final desta atualização do Manual ainda aguarda publicação oficial pelo Comitê Gestor do eSocial, mas os usuários já podem acessar à previa clicando aqui, e já utilizá-lo para esclarecer suas dúvidas.

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES

  • NIS (PIS/ PASEP) e CPF do Médico
  • Listagem de eventos dos riscos (alteração tabela)
  • Lista de Procedimentos: anteriormente era utilizado o código TUSS (Terminologia Unificada da Saúde Complementar), que passou a ser formada para uma tabela específica e por códigos e descrições de cada procedimento.

O eSocial é uma iniciativa do Governo Federal que visa unificar em meio digital as informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais relativas a empregados, empregadores, colaboradores, contribuintes individuais e contratações de serviços remunerados no Brasil.  A RHMED possui um amplo serviço de Gestão para Implantação e Auditoria das Normas Regulamentadoras de Segurança do Trabalho, contando com uma equipe de engenheiros e técnicos qualificados. Cliquei aqui para entender!

RHMED está entre as mais admiradas por profissionais da área

A RHMED está entre as 25 empresas ganhadoras da premiação “Marcas mais Admiradas pelos RHs 2018”, promovida pelo Grupo Gestão RH. Contando com a avaliação de mais de 32 mil profissionais da área, o reconhecimento concedido à RHMED por suas práticas de gestão foi recebido nesta segunda-feira, 04 de junho, pelo CEO da empresa Antonio Martin, em cerimônia realizada em São Paulo.

“Recebemos esse prêmio como um reconhecimento ao pioneirismo da RHMED; ao nosso trabalho incessante em busca de excelência, aprendizado contínuo, agilidade e qualidade no atendimento aos nossos clientes; e, acima de tudo,  ao valor que damos às centenas de milhares de vidas de trabalhadores sob nossa gestão”, afirmou Antonio Martin.  “Cercado por clientes, parceiros e amigos de longa data, ao receber o prêmio, lembrei da luta diária para que as pessoas sejam cada vez mais valorizadas nas empresas e também para que o trabalho fundamental do profissional de RH seja reconhecido”, acrescentou Martin.

PESQUISA COM MAIS DE 10 ANOS

 

O Grupo Gestão RH promove desde 2006 a pesquisa “Os RHs Mais Admirados do Brasil e América Latina”, que valoriza a atuação dos profissionais de recursos humanos das principais organizações do Brasil. Em 2011, também passou a identificar “Marcas Mais Admiradas pelos RHs”, reconhecendo as empresas mais lembradas e valorizadas pelos gestores de pessoas de todo o país. O processo de seleção dos premiados é feito por meio de votação eletrônica com profissionais da área. A gerente de RH da RHMED, Edmara Uchoa, com mais de 20 anos de experiência na área, também se destacou entre os finalistas dos melhores profissionais do país.