Saúde mental e a efetividade do seu negócio

Saúde mental e a efetividade do seu negócio

Há uma linha tênue entre a cobrança dos líderes à equipe, a saúde mental dos colaboradores e a efetividade do negócio. A pressão por resultados existe em qualquer ambiente de trabalho, mas até que ponto essa cobrança interfere na saúde mental das pessoas? Qual é o limite? Como avaliar se a liderança está passando do ponto e, consequentemente, prejudicando o desempenho dos seus comandados?

De acordo com a pesquisa feita pela The School of Life – organização focada em inteligência emocional –, em parceria com a Robert Half –, empresa global de recrutamento especializado –, a suspeita é de que a balança entre produtividade e saúde mental ainda esteja desequilibrada. O levantamento foi feito no Brasil, de forma online, com 387 gestores e outros 387 liderados.

Conforme a pesquisa, quase 50% dos líderes consultados admitiram ter deixado de produzir ou de se manter engajados em algum momento por estarem emocionalmente abalados. Outro dado curioso do levantamento mostra que 37% dos gestores afirmaram que estão sem tempo para cuidar da própria saúde e do bem-estar.

Antes de mais nada, é muito importante que a empresa deixe claro seus valores e cultura. O segundo ponto é definir os critérios para buscar um líder: muitas vezes se contrata ou promove uma pessoa pela sua capacidade técnica, mas isso não quer dizer, necessariamente, que ela terá um bom desempenho na função. É necessário investir no desenvolvimento de outras habilidades nos líderes.

Outro ponto importante é avaliar todos os “quesitos”, afinal, o engajamento dele vai interferir diretamente em seus liderados e, consequentemente, no sucesso do negócio. A pesquisa mostra ainda que um ambiente de trabalho tóxico é o principal fator para pedidos de demissão por parte dos liderados.

Por isso, é muito importante que as empresas realizem pesquisas internas sobre saúde mental com regularidade. Somente a partir destes dados será possível promover ações, além de sensibilizar e educar as pessoas sobre saúde mental. Lembre-se: o resultado vem do trabalho humano!

Antonio Martin – CEO da RHMED