Saúde do homem é alvo do Novembro Azul

Mês de alerta à conscientização, prevenção e ao diagnóstico do câncer de próstata, o Novembro Azul tem se tornado um aliado cada vez mais efetivo no cuidado com a saúde masculina. Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que o número de novos casos de câncer de próstata em 2018 está acima de 68 mil – superando o câncer de mama, com 59,7 mil – em todo o país.

Ainda segundo dados do Inca, a elevação nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente explicada pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Novembro Azul: Saiba como se prevenir:

Para prevenção, especialistas recomendam exames clínicos e periódicos. O exame de toque, junto com o PSA (exame de sangue), deve ser feito anualmente, como rotina. O tempo de duração do exame é de apenas 10 segundos e tem como objetivo analisar a consistência da próstata, seu tamanho e se existem lesões palpáveis por meio do reto na glândula.

A avaliação é indicada a partir dos 50 anos de idade e, caso haja casos de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos, é recomendável atenção, pois o risco de se ter a doença é aumentado de 3 a 10 vezes.

Alimentação e atividade física regular são essenciais para ajudar na redução do risco de desenvolvimento do câncer de próstata. As recomendações médica são: fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura; e incorporar ou manter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal. Essa rotina também favorece a diminuição do risco de desenvolvimento de outras doenças crônicas. Também é aconselhável limitar o consumo de álcool e evitar ou eliminar o tabagismo.

 

RHMED é referência em Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho no Brasil e conta com unidades próprias no Rio de Janeiro e São Paulo , além de uma ampla rede de prestadores distribuídas em todas as regiões do Brasil. Clique aqui para ler nossos artigos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *