A promoção da saúde mental como medida preventiva aos acidentes de trabalho

A promoção da saúde mental como medida preventiva aos acidentes de trabalho

No dia 27 de julho comemora-se o Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho. A data é um convite para alertar empregados, empregadores, governos e sociedade civil sobre a importância de práticas que reduzam o número de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Dados do Ministério da Saúde mostram que a média anual de acidentes de trabalho no país, de 2002 a 2021, foi de 601.993 ocorrências, que resultaram em 2.591 mortes e 9.419 incapacitações permanentes.

Nesse contexto, a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), do Ministério do Trabalho e Emprego, lançou em abril a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho – CANPAT 2023. O principal objetivo da campanha é promover um ambiente laboral seguro e práticas saudáveis em todos os setores produtivos.

A segurança no trabalho vem sendo pauta constante no universo corporativo. O debate acerca do tema caminha para a análise de fatores externos que afetam o desempenho do colaborador nas atividades cotidianas. Como exemplo disso, principalmente após a pandemia, está a questão da saúde mental.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão e 260 milhões vivem com transtornos de ansiedade em todo o mundo. Ainda considerados como um tabu, estes dois problemas de saúde podem atingir diretamente o rendimento dos colaboradores de uma empresa.

Cuidar da saúde mental é garantir uma boa produtividade

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas: 9,3% da população.

Em um ambiente onde o ritmo de trabalho está cada vez mais acelerado, a saúde do colaborador pode correr riscos. Fatores como cobrança por resultados, medo de demissão, clima organizacional ruim e longas jornadas de trabalho são algumas das razões que podem levar profissionais a se sentirem cansados, preocupados, nervosos e sem energia, afetando diretamente sua saúde mental no ambiente laboral.

No Brasil, de acordo com o levantamento mais recente sobre o tema publicado pela Secretaria da Previdência, os episódios depressivos são a principal causa de pagamento de auxílio-doença não relacionado a acidentes de trabalho (30,67%), seguidos de outros transtornos ansiosos (17,9%). De acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde, na série histórica de 2007 a 2018, foram notificados 10.237 casos de transtornos mentais relacionados ao trabalho.

É preciso lembrar que é no trabalho onde o indivíduo passa o maior tempo de sua rotina, e por isso, este espaço deve ser propício para a preservação da saúde mental. Além de preservar a equipe, um ambiente com promoção de saúde mental é comprovadamente mais produtivo e com menos rotatividade.

Saiba o que fazer para ajudar seus colaboradores

Um ambiente de trabalho saudável é aquele em que empregados e gestores contribuem ativamente para a promoção e a proteção da saúde, da segurança e do bem-estar de todos.

As intervenções e as boas práticas em relação à saúde mental, incluem o oferecimento de suporte aos empregados, o envolvimento deles no processo de tomada de decisão (o que desenvolve um senso de controle e participação), práticas organizacionais que promovam um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal e programas que reconheçam e recompensem a contribuição dos empregados.

Além disso, palestras motivacionais e atividades voltadas à melhoria do clima organizacional, como dinâmicas de grupo, coffee breaks e confraternizações também podem ajudar. Outras formas de evitar os transtornos mentais dos seus colaboradores são oferecer:

Flexibilidade da jornada de trabalho;

Programas voltados à saúde física do colaborador

Feedbacks positivos;

Desenvolvimento de uma boa comunicação com sua equipe;

Oportunidades de crescimento;

Formação de bons líderes, que apoiam seus colaboradores;

Por mais que essas medidas sejam interessantes, um programa de atendimento psicológico dentro e, principalmente fora da organização, é essencial para preservar a saúde mental do trabalhador.

Negligenciar os cuidados com a saúde mental pode ser nocivo tanto para o ambiente de trabalho quanto para a qualidade de vida. Portanto, cabe a cada um, desde o líder ao colaborador, repensar suas práticas e focar na saúde da equipe.

Qual é a relação entre alimentação saudável e segurança no trabalho?

Qual é a relação entre alimentação saudável e segurança no trabalho?

O crescimento do número de acidentes relacionados ao trabalho no Brasil causa preocupação nas empresas. Em 2022, o país registrou cerca de 613 mil notificações de sinistro, com 2.500 óbitos, 22% a mais do que no ano anterior.Os dados são do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, iniciativa do Ministério Público do Trabalho, Organização Internacional do Trabalho e diversos órgãos do governo federal.

 

Entre as cidades, São Paulo foi a que registrou, no ano passado, a maior incidência de casos: 51 mil notificações. Em seguida, estão Rio de Janeiro, com 18 mil, e Belo Horizonte, com 11 mil casos.

 

Quando falamos em segurança no trabalho, não podemos nos ater apenas ao debate sobre o uso apropriado de EPIs ou ambiente laboral seguro. A questão é mais complexa e, nos últimos anos, passou a ser analisada de uma forma mais abrangente.

 

Bons hábitos resultam em bons resultados no trabalho e na vida

 

Uma das discussões mais frequentes no mundo corporativo e na sociedade em geral é a importância de uma alimentação saudável. É inegável o seu papel para o bem-estar das pessoas e seus reflexos positivos na qualidade de vida.

 

A adoção de uma dieta pouco saudável causa desequilíbrio no organismo, deixando os funcionários mais propensos à obesidade, dispersos e apáticos. Dependendo da função, o colaborador fica mais sujeito a danos físicos capazes de comprometer sua saúde e jornada laboral.

 

No contexto empresarial, incentivar a alimentação saudável é um meio de garantir maior qualidade de vida aos trabalhadores e ainda elevar a produtividade. Quem se alimenta de forma balanceada, sem ingestão de produtos ultraprocessados, demonstra mais energia e disposição para as tarefas do dia a dia, além de adoecerem menos.

 

Dicas de hábitos saudáveis

 

A RHMED|RHVIDA seleciona alguns hábitos que vão transformar o ambiente de trabalho

 

  • Comunicação interna

 

Dissemine por meio de canais de comunicação da empresa – newsletter, grupos de WhatsApp, lives, boletins etc. – informações relevantes sobre o tema, sugestões de como melhorar a alimentação. Promova também, regularmente, palestras com especialistas.

 

  • Disponibilizar estrutura e profissionais da área

 

As empresas são compostas por pessoas, com comportamentos, estilos de vida e condições de saúde diversas. Logo, disponibilizar profissionais da saúde, como nutricionistas, é fundamental para ajudar cada membro a montar uma dieta equilibrada de forma personalizada.

 

Se possível, aposte em uma estrutura própria de cozinha ou refeitórios. Por aqui ampliamos a copa e estimulamos os colaboradores a levarem sua refeição de casa, mesmo com o fornecimento do vale-refeição.

 

  • Incentivar a prática de atividades físicas

 

A alimentação saudável é essencial, mas tem resultados ainda melhores quando associada a atividades físicas. Assim, incentivar a prática de exercícios se torna fundamental para impactar positivamente a qualidade de vida. Parcerias com academia e flexibilização de horários garantem bons resultados.

 

Mudar a cultura de uma organização é uma tarefa desafiadora e exige planejamento, paciência e trabalho contínuo. Porém, não há dúvidas de que a organização que investe na qualidade de vida e na saúde do seu funcionário está investindo no próprio sucesso.

 

O que sua empresa tem feito para fomentar hábitos saudáveis junto aos colaboradores?

Muito além das normas trabalhistas: saúde no trabalho deve ser prioridade

Muito além das normas trabalhistas: saúde no trabalho deve ser prioridade

É muito importante que o mundo corporativo entenda que a saúde do trabalhador vai muito além dos exames admissional, demissional e periódico. As empresas têm um papel social extremamente importante, uma vez que na maioria dos casos é somente através das ações de saúde ocupacional por elas promovidas que o colaborador tem contato com cuidados preventivos.

Obesidade, problemas de saúde mental, síndrome de Burnout, entre outros, estão entre as principais causas de absenteísmo e turnover. Ter profissionais capacitados e que estejam realmente atentos aos sinais e/ou sintomas do trabalhador é de extrema importância para ambos os lados.

Ao avaliar com cuidado o colaborador, a empresa investe no profissional garantindo seu bem-estar e, por outro lado, tende a aumentar a produtividade. Trabalhadores satisfeitos, assistidos e saudáveis elevam a qualidade do ambiente de trabalho e produzem mais. Não há dúvidas de que a organização que investe na qualidade de vida e saúde do seu funcionário está investindo no próprio sucesso.

Segundo levantamento* do Ministério da Previdência, até julho de 2022, as principais causas de afastamento no trabalho foram:

  • mioma (leiomioma), um tumor benigno de útero;
  • fratura de punho,
  • transtorno de disco lombar (problema nas costas).

O comprometimento com a saúde do trabalhador gera um círculo de respostas positivas dentro da empresa, sendo uma estratégia que irá fortalecer a cultura e a imagem da organização. Contudo, não basta apenas seguir o que é estipulado nas normas trabalhistas. As empresas são compostas por pessoas, com comportamentos, estilos de vida e condições de saúde diversas.

Dessa forma, é preciso saber enxergar como anda a saúde na sua empresa e realizar uma gestão eficiente, que beneficie o colaborador a longo prazo, de acordo com a sua rotina de trabalho, doenças preexistentes e estilo de vida. Além disso, a empresa deve se preocupar com o bem-estar de todos dentro e fora do ambiente profissional.

Promover melhorias no posto de trabalho é um bom começo, mas também há outras formas de tornar o local mais amigável como, por exemplo, realizar campanhas contra a obesidade, tabagismo, diabetes, além de aproveitar as datas temáticas para palestras. Os pacotes de benefícios também devem ter um olhar especial. Convênio com academias, planos de saúde e restaurantes saudáveis são sempre bem-vindos.

O que sua empresa tem feito para promover a saúde dos colaboradores?

*A pesquisa considera somente aqueles afastamentos por mais de 15 dias e que, consequentemente, geraram um benefício do INSS ao segurado

Semana da Saúde: Celebrando nosso maior bem!

Semana da Saúde: Celebrando nosso maior bem!

Datas existem para nos lembrar de um acontecimento ou tema. Em abril, logo no começo do mês, celebramos a saúde, que é o nosso maior patrimônio. Em 07/04, foi o Dia Mundial da Saúde, ponto central de toda uma semana dedicada ao tema.

Ocasiões simbólicas como a Semana da Saúde podem se transformar em ações relevantes o ano inteiro, que reforcem o debate de uma série de campanhas sobre bem-estar, ajudando na prevenção de doenças, tanto físicas quanto mentais. Para as organizações, independentemente do setor e do porte, é uma grande oportunidade de trazer à pauta temas cruciais à manutenção e à disseminação de informações confiáveis sobre saúde dos trabalhadores.

Nós da RHMED|RHVIDA temos como missão primeira cuidar das pessoas. Estamos permanentemente focados e dispostos a ampliar o debate com nossos colaboradores, clientes e parceiros, de forma que cada vez mais assertiva e abrangente. A ideia é promover engajamento e impactar nas famílias, nos amigos e na sociedade em geral.

O cuidado com as pessoas ainda é a melhor estratégia para assegurar a produtividade, a satisfação interna, uma imagem externa positiva e o crescimento sustentável, em pilares cada vez mais sólidos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), qualidade de vida é “a percepção do indivíduo de sua inserção na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Portanto, envolve não só o bem-estar físico, mental, psicológico, emocional e espiritual, como questões do contexto social em que vive, incluindo habitação e saneamento básico, entre outras.

A realização de uma semana inteira dedicada à saúde dentro das empresas é uma excelente ferramenta para melhorar a disposição, a partir da informação, conscientização e educação dos colaboradores. Funciona como um evento estratégico, com reflexos positivos no ânimo do time.

Principais vantagens:

  • Aumenta o engajamento da equipe.
  • Aumenta o foco e a produtividade dos colaboradores.
  • Aumenta a autoestima dos funcionários.
  • Atrai e retém talentos.
  • Previne doenças ocupacionais ou permite diagnósticos precoces, facilitando o tratamento.
  • Evita absenteísmo.
  • Estreita os laços entre empresa e colaboradores.

Confira como foi a Semana da Saúde RHMED|RHVIDA

A Semana da Saúde na RHMED|RHVIDA teve início no dia 11 de abril e contou com a adesão de nossos funcionários. Durante todo período, geramos conteúdo capaz de esclarecer dúvidas frequentes de nossas equipes. Com programação bastante diversificada, ressaltamos a importância de estarmos atentos aos primeiros sinais de problemas e pedirmos ajuda o quanto antes.

Além das palestras, presencial e online, tivemos sessões de ginástica laboral.

Confira como foi nossa programação:

11/04

Tema: A Ergonomia e a rotina no trabalho!

Conteúdo: Mauro Lima (Ergonomista RHMED|RHVIDA)

12/04
Palestra: Criando Hábitos Saudáveis (online)
Convidada: Arlete Arnaldo (fisio)

13/04
Palestra: Alimentação saudável (online)
Convidada: Cláudia Silva (nutri)

14/04
Ginástica Laboral – RJ
Convidada: Manoela Noleto (fio e ergonomista)
Ginástica Laboral – SP
Convidada: Carina Moura

Dia Internacional da Mulher saudáveis e empoderadas

O Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, é uma data que precisa ser lembrada e celebrada a cada ano, servindo de motivação para ampliar as conquistas femininas na sociedade. Assistimos a avanços ao longo dos últimos anos, mas, infelizmente, a evolução ainda não tem sido suficiente.

As mulheres são testadas, cobradas e julgadas diariamente, em casa, no trabalho e na sociedade. Por sua aparência, por seu comportamento, por seus projetos, decisões, postura e desempenho no trabalho. A pressão é enorme, diária e acaba afetando não só a saúde física, mas também o seu equilíbrio mental e emocional.

Só para contextualizar e dimensionar o problema, vejamos parte dos obstáculos enfrentados pelas trabalhadoras em todo o mundo. Dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostram que 15% das mulheres em idade ativa no mundo gostariam de ter um emprego, mas não têm, contra 10,5% dos homens. Ainda de acordo com a OIT, para cada dólar de renda pago pelo trabalho masculino, as mulheres, exercendo exatamente a mesma função, recebem apenas 51 centavos, quase a metade.

Em casa, as responsabilidades pessoais e familiares também recaem sobre elas de forma desproporcional.

RHMED|RHVIDA ressalta a importância do bem-estar no trabalho

Estudo do Women’s Health ResearchInstitute, da Northwestern University, revela que as mulheres são mais propensas a se sentirem estigmatizadas por procurar assistência com um problema de saúde mental. Consequentemente, muitas vezes relutam para buscar ajuda ou buscam tardiamente.

A RHMED|RHVIDA – cujo quadro de funcionários é majoritariamente feminino e possui 70% de seus cargos de liderança ocupados por mulheres – acredita que as empresas têm a responsabilidade de promover bem-estar no trabalho e qualidade de vida à totalidade de seus colaboradores.

Estimular a prática de exercícios físicos, fazer circular informações úteis sobre alimentação saudável, flexibilizar horários para exames clínicos e consultas médicas, observar atentamente o comportamento de suas colaboradoras e abrir canais de diálogo com elas já consiste em um bom começo.

Prevenção é a melhor aliada da saúde                

– É bom que a empresa verifique se a colaboradora está assumindo mais tarefas do que é capaz de suportar. Muitas vezes, por insegurança, ela não sinaliza ou talvez nem mesmo conheça seus próprios limites.

– A empresa deve estimular exames periódicos, vacinação e outras agendas ligadas à prevenção de doenças no trabalho.

– Tanto no trabalho presencial quanto no home office, em razão do acúmulo de jornadas, as trabalhadoras precisam flexibilizar seus horários. É bom que a empresa seja sensível a essas demandas.

– Incentivar a prática de atividades físicas é uma boa forma de evitar o sedentarismo e a obesidade.

– Proponha pausas regulares durante a jornada de trabalho para que a colaboradora possa fazer exercícios laborais, evitando dores de coluna ou doenças causadas por esforço repetitivo.

– É recomendável que sua empresa inclua em seu calendário anual campanhas contra o tabagismo e o alcoolismo.

– Outubro Rosa e outras campanhas e datas que chamem a atenção quanto à necessidade de prevenir doenças são sempre bem-vindas no ambiente corporativo.

– Abra canais de denúncias de assédio, moral ou sexual. Faça com que suas colaboradoras confiem e se sintam acolhidas pela empresa. Assédio é uma das maiores fontes de estresse para as mulheres.

– Racismo e preconceito de gênero são inaceitáveis.

Fevereiro tem Carnaval, tem Carnaval!

Fevereiro tem Carnaval, tem Carnaval! Depois de quase três anos sem termos uma folia do jeito que o brasileiro gosta, desta vez os blocos já estão nas ruas e os tradicionais desfiles de escolas de samba vão brilhar para o mundo.

Apesar do clima de festa, é importante também manter a cautela. Nada de querer comemorar três anos em um só. Lembre-se que há vida depois do carnaval! Saúde e segurança são cruciais.

Há algumas preocupações a se levar em conta. Uma delas é não beber em excesso. E, se beber, não dirija. Cuida de si e das pessoas à sua volta. O corpo e a mente agradecem. Você não vai querer perder parte do carnaval por causa de um porre.

Além dos danos à saúde, o exagero no consumo de bebidas alcoólicas colabora para o aumento de casos de assédio sexual, facilita golpes e torna o folião mais vulnerável. Mantenha-se segura ou seguro.

Se hidrate constantemente e se alimente de forma saudável e equilibrada.

Opte pelos transportes públicos, ande em grupo, preserve o patrimônio público, use camisinha e beba com moderação são as dicas para a curtição se prolongar por todo o carnaval.

Respeitar o outro é fundamental para que você seja respeitado. No mais, providencie fantasia, animação, confete, serpentina e divirta-se!

Ano de novas metas e desafios. Mas sem estresse!

Ano de novas metas e desafios. Mas sem estresse! 

O ano de 2022 foi especialmente agitado, com Copa do Mundo e eleições praticamente coladas no calendário. Depois, veio a tradicional correria de Natal e réveillon: organização de ceia, compra de presentes, programação de férias, viagens e tudo mais. Bom, e o comecinho de 2023 também não está sendo fácil.

Sempre um novo ciclo traz consigo revisões do passado, novas metas e resoluções. Estamos permanentemente nos cobrando melhor desempenho, trabalhando no limite e, muitas vezes, relegando ao segundo plano família, nosso bem-estar e qualidade de vida.

O home office e, agora, a volta ao trabalho presencial ou híbrido mexeu ainda mais com a rotina dos profissionais, principalmente as mulheres. A verdade é que, quando não conseguimos conciliar família e trabalho, as chances de haver uma queda significativa na produtividade e na criatividade são grandes.

 Mas como as empresas podem resolver o problema? 

Os gestores têm papel essencial de facilitadores na hora de resolver a equação trabalho/bem-estar. Trata-se de orientar e auxiliar suas equipes, fazendo com que se sintam comprometidas e alinhadas aos objetivos da organização, sem estresse nem conflitos.

RHMED|RHVIDA: “A vida pede equilíbrio”

Especializada em cuidar das pessoas, a RHMED|RHVIDA tem uma visão sistêmica do ambiente de trabalho e da forma com que lideranças e colaboradores podem otimizar processos e ganhar tempo, sem sofrimento.

No mês da campanha Janeiro Branco, cujo tema oportuno é “A vida pede equilíbrio”, vale a pena conferir dados da International Stress Management Association (Isma). A pesquisa mostra que o Brasil é o segundo país com mais casos de burnout, superando países como Estados Unidos e Alemanha. Fica atrás apenas do Japão, que tem 70% da população atingida pela doença.

Abaixo, algumas dicas simples para combater o desgaste no trabalho:

– Liste prioridades;

– Organize seu horário e planeje sua distribuição ao longo do dia;

– Não assuma mais tarefas do que é capaz de executar;

– Aprenda a delegar;

– Encare erros como aprendizado, não se culpe nem culpe os que estão à sua volta;

– Cuide da sua saúde, dentro e fora do ambiente de trabalho;

– Faça pausas curtas ao longo do expediente para se alongar e espairecer um pouco;

– Não espere ficar estafado e/ou estressado para pedir apoio;

– Nas horas de folga, desconecte-se. Invista no tempo com família e amigos;

– Arrume um tempo só para si e para as coisas que mais gosta: leitura, cinema, praia, passeios e etc.

Novembro Azul: Hora de prevenir!

Novembro Azul: Hora de prevenir!

O diagnóstico precoce ainda é a forma mais eficaz de combater o câncer de próstata. A campanha internacional Novembro Azul foi criada há quase 20 anos, na Austrália, justamente para chamar a atenção para a doença e divulgar a necessidade de exames periódicos entre os homens.

Além de incentivar a prevenção, a iniciativa global tem o objetivo de esclarecer quanto aos cuidados com a saúde do homem e combater mitos, tabus e preconceitos socioculturais que ainda cercam os exames e a própria doença.

No Brasil, o câncer de próstata é o mais prevalente entre pessoas do sexo masculino. Em grande parte das vezes, a doença não apresenta sintomas específicos.

Daí, a necessidade de manter os exames preventivos em dia para detectá-la em estágio inicial. Segundo dados do Ministério da Saúde, quase 90% dos casos podem ser curados se diagnosticados precocemente.

Apesar de atingir mais frequentemente homens da terceira idade, o câncer de próstata afeta um número cada vez maior de indivíduos na faixa entre 30 e 40 anos.

RHMED|RHVIDA: ações comprometidas com os ODS

Ao aderir ao Pacto Global da ONU para 2030, a RHMED|RHVIDA amplificou ainda mais suas ações relativas à saúde dos colaboradores, em todos os seus aspectos, o que é um dos pilares dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável).

A RHMED|RHVIDA sempre incentivou ações voltadas à conscientização dos colaboradores sobre o câncer de próstata e orienta seus clientes e parceiros a promover também campanhas sobre o assunto. Eventos, palestras, newsletters e redes sociais, entre outros canais, podem colaborar na disseminação de conteúdo relevante e ajudar a salvar vidas.

É importante incentivar também hábitos saudáveis, como alimentação equilibrada e exercícios físicos.

Campanhas como o Novembro Azul colaboram para consolidar a estrutura interna das empresas, melhoram o ambiente laboral e fortalecem princípios que traduzem a identidade e a cultura da organização.

 

Outubro Rosa: Ações nas empresas podem ajudar na conscientização do câncer de mama

Outubro Rosa: Ações nas empresas podem ajudar na conscientização do câncer de mama

 

A campanha anual realizada mundialmente para alertar a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, o Outubro Rosa, busca também divulgar dados preventivos e ações fundamentais para o enfrentamento da doença.

No Brasil, estima-se que, entre 2020 e o fim de 2022, um total de 66.280 mulheres sejam afetadas pelo câncer de mama. É o 2º mais incidente entre as mulheres, ficando atrás somente do câncer de pele. É muito importante que as empresas promovam, não só em outubro, mas durante o ano, ações que estimulem a realização de exames e idas ao médico. Empresas que incluem o Outubro Rosa em sua programação dão uma prova de responsabilidade social e comprometimento.

Iniciativas que ajudem a disseminar e a fixar a campanha na memória dos funcionários são bem-vindas na rotina dos colaboradores, bem como dar suporte para quem estiver precisando por esse momento delicado.

Como as empresas podem contribuir para a conscientização:

– Promover um dia em que todos vistam rosa ou um laço da cor – símbolo da campanha, deixar uma caixinha das dúvidas em ambientes comuns, distribuir materiais de conscientização, promover um dia de corte de cabelo para doação das pacientes que perdem o cabelo durante o tratamento;

– Incentivar as consultas: a empresa pode liberar as colaboradoras que desejarem realizar as consultas de check-up ginecológico para realizar os exames adequados na prevenção contra o câncer de mama. Se possível, a empresa pode buscar uma parceria de um consultório ou clínica para indicar a quem deseja fazer os exames, de forma gratuita ou com descontos;

– Promover eventos de esclarecimento: nada melhor do que especialistas sobre a doença para explicar melhor os tipos de prevenção, exames e tratamentos. Palestras e rodas de conversa são bem-vindas.

Como prevenir o câncer de mama?

Não há uma única causa para a doença. Fatores hormonais, ambientais, comportamentais e genéticos aumentam o risco de desenvolver a doença. O risco aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos. No entanto, é possível reduzir o risco de desenvolver câncer de mama mantendo o peso corporal adequado, praticando atividade física e evitando o consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo. Amamentar também é um fator de proteção.

A boa notícia é que a manutenção de hábitos saudáveis contribui para a prevenção de, pelo menos, 30% dos casos de câncer de mama.

Agosto dourado: no Brasil, a amamentação exclusiva alcança 45,8% dos bebês com até seis meses

Estamos no Agosto Dourado, mês que simboliza o incentivo à amamentação –relacionado ao padrão ouro de qualidade do leite materno. Com o tema “Apoiar a amamentação é cuidar do futuro” em 2022, a campanha tem o objetivo de fortalecer o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida do bebê e sua continuidade até, pelo menos, os 2 anos, além dar suporte a mulheres e criar redes de apoio.

Para 2025, a meta estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de aumentar em 50% a taxa de aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida. Atualmente, no Brasil, a amamentação exclusiva alcança 45,8% dos bebês nessa faixa de idade.

Segundo depoimento da coordenadora de Saúde da Criança e Aleitamento Materno da Secretaria de Atenção Primária à Saúde, Janini Ginani, publicado no site do Ministério da Saúde, dados recentes mostram que a prevalência de aleitamento materno na primeira hora de vida é de 62%. “Esse primeiro contato é extremamente benéfico”, explica. “Temos ainda uma prevalência de aleitamento materno de mais de 60% para crianças menores de 2 anos”, acrescenta Janini.

Benefícios

Para as mulheres, amamentar reduz o risco de desenvolvimento de câncer de útero e de mama. Para o bebê, fortalece o sistema imunológico, reduz os riscos de obesidade, desenvolvimento de diabetes, casos de diarreia, infecções respiratórias, hipertensão, colesterol alto, além de diminuir a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de 5 anos.

Capacitação

Segundo o Ministério da Saúde, de 2013 a 2021, mais de 60 mil profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS) foram capacitados na Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil.

RHMED|RHVIDA apoia ODS da ONU voltado para o bem-estar 

Há três anos, a RHMED|RHVIDA declarou apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, fazendo o que sabe de melhor: ajudar as empresas a cuidar da saúde de seus colaboradores.