A importância da sociabilização organizacional

O capital humano é fundamental para o desenvolvimento de uma empresa. Não somente por conta da capacitação, habilidade ou dedicação dos profissionais que nela trabalham, mas pela forma com que se relacionam entre si e com a própria organização. Fazer com que o colaborador se sinta confortável em seu ambiente corporativo, querido por seus colegas e acolhido por seus líderes é a melhor maneira de engajá-lo em suas atividades e seus propósitos.

Não há mistério ou fórmula mágica para fazer o funcionário se sentir parte do conjunto. Apenas é preciso incentivar e organizar a socialização das equipes.

Mas, afinal, do que consiste sociabilizar? Trata-se de um processo pelo qual o indivíduo se torna membro funcional de uma comunidade, assimilando sua cultura, reproduzindo e disseminando seus valores. É criar uma corrente coesa e solidária, na qual o indivíduo se sinta parte de um todo, responsável não só por suas tarefas, mas pelo conjunto de operações e pela coletividade.

O reconhecimento das características individuais e a melhor maneira de adequá-las às características da organização fazem parte do processo de sociabilização. Os aspectos que permeiam o processo exigem planejamento e monitoramento constante, para que tanto o funcionário quanto a corporação mantenham foco no bem-estar geral e no aprimoramento das relações internas e, consequentemente, externas.

Ninguém é uma ilha. As pessoas precisam cuidar de si, do outro e se deixar ser cuidada também. Isso cria uma atmosfera de cuidado genuíno e fortalece as relações para uma cultura de segurança dentro de uma corporação. O ambiente fica mais seguro, inclusive (e especialmente) por causa das pessoas.

RHMED|RHVIDA indica e orienta a promoção de atividades sociais dentro das empresas

Estimulamos que nossos clientes organizem atividades dentro e fora da empresa para desenvolver em seus colaboradores relações mais cordiais e sólidas.  Campeonatos esportivos, comemorações, eventos, cursos, dinâmicas de grupo, concursos, viagens e campanhas sociais são exemplos clássicos que alimentam positivamente o espírito coletivo das equipes.

Para o funcionário, é uma oportunidade de perceber, por outro ângulo, qual o espaço que ocupam na corporação e o olhar do outro sobre ele. Atividades conjuntas resultam, quase sempre, em autoconhecimento e na saudável sensação de pertencimento. Para as lideranças, a socialização permite observar, também sob outra ótica, o perfil de seus colaboradores, suas reações e habilidades nem sempre demonstradas na execução das tarefas diárias. É uma forma de extrair o melhor de cada um espontaneamente.

Campanhas para arrecadar donativos, por exemplo, costumam revelar pessoas com potencial de liderança, comprometimento e espírito coletivo.  Atividades esportivas evidenciam personalidades competitivas, assim como capacidade de trabalhar em grupo, lidar com adversidade e demonstrar rapidez de pensamento na solução de desafios, entre outras características pessoais.

Quanto mais consciente de suas potencialidades for o colaborador, mais saberá se encaixar em sua equipe e no conjunto da empresa. Quanto mais os funcionários souberem lidar com diferenças e percalços na convivência, mais fácil resolverão questões também no ambiente de trabalho. E, por fim, quanto mais a empresa souber sobre o perfil de seus trabalhadores, individualmente e no convívio social, mais saberá sobre suas capacidades e função organizacional.

Comunicação, a chave para bons resultados de equipes

Manter a equipe coesa com atividades regulares melhora a adaptação e o desempenho dos novatos, além de ajuda a manter o interesse e a participação dos funcionários mais antigos. A troca entre recém-admitidos e veteranos é sempre enriquecedora e produtiva. Sociabilizar também fortalece o relacionamento interpessoal, reduz insegurança e focos de estresse, desenvolve competências, reduz rotatividade, estimula habilidades e faz circular conhecimento.

Grupos que se comunicam com facilidade interagem melhor também no ambiente de trabalho.

Colaboradores motivados ajudam a disseminar a cultura organizacional de maneira mais efetiva. Eles passam a falar sobre o que conhecem e acreditam. Uma empresa que se preocupa com as pessoas que nela trabalham cria uma imagem positiva, saudável e feliz, interna e externamente. Ao incentivar a socialização, a corporação faz ajustes frequentes na cultura organizacional, adquire poder de adaptação e usufrui de boa reputação.

Servindo de exemplo para parceiros, fornecedores e distribuidores, a organização multiplica boas práticas e se torna referência em gestão.  Formar uma equipe que trabalhe baseada no respeito, intercomunicação, apoio mútuo e comprometimento com a empresa representa um precioso ativo do qual nenhuma empresa pode se dar ao luxo de prescindir atualmente.